Por: Juliana | 08/02/2018

Por Evandro Padilha

Jogando no Uruguai, a Chape deu adeus ao sonho de chegar a fase de grupos da Copa Libertadores. Na noite de ontem, no estádio Gran Parque Central em Montevideo, o Verdão foi derrotado pelo placar de 1 a 0 e viu as chances de seguir na competição serem destruídas pelo time uruguaio. Sebastian Fernandez, aos cinco minutos do primeiro tempo, marcou o gol da vitória e da classificação do Nacional que vai enfrentar o Banfield na próxima fase.

Se a tarefa da Chape já não era das mais fáceis, o desafio se tornou ainda maior logo nos minutos iniciais. Precisando reverter o resultado de 1 a 0 construído pelo Nacional em Chapecó no jogo de ida, o alviverde se lançou ao ataque e criou uma excelente oportunidade logo aos 3 minutos. Após cobrança de falta, Arthur Caíke desviou de cabeça e obrigou o goleiro Esteban Conde a trabalhar. No rebote, Fabrício Bruno tentou finalizar, mas foi bloqueado pela defensiva tricolor. Foi aí que entrou em ação o velho e muito usado clichê futebolístico que diz que “quem não faz leva”. Em um erro de Fabrício Bruno na saída de bola, o Nacional se organizou rapidamente e Fernandez apareceu de surpresa dentro da área para abrir o placar para os uruguaios.

O gol obrigou o Verdão a sair ainda mais, no entanto, a desorganização e o nervosismo aumentaram os erros de passe. Em um deles, Márcio Araújo tentou recuar a jogada e entregou a bola para Fernandez que percebeu que Jandrei estava adiantado e por pouco não marcou um golaço por cobertura. Por outro lado, a Chape buscava nas subidas de Bruno Pacheco igualar as ações, mas não conseguiu ser efetiva, e o primeiro tempo acabou com vantagem a favor do time mandante.

Na etapa complementar, a tônica do jogo permaneceu. Enquanto o Verdão tentava, de todas as formas, se aproximar do gol de empate, o Nacional explorava as jogadas de contra ataque. Kleina, limitado pelas poucas opções que tinha no banco de reservas, promoveu as entradas de Bruno Silva, Alan Ruschel e de Nádson, entretanto, a aparente ofensividade buscada pelo treinador foi ofuscada pela desorganização tática do time que foi para o tudo ou nada. Apesar de muita entrega, o time catarinense não conseguiu obter o resultado que precisava e deu adeus à competição continental.

Após a eliminação da Libertadores, o time de Gilson Kleina tem pela frente a missão de perseguir o Figueirense, líder do Estadual com 16 pontos conquistados. Vice-líder, o alviverde recebe o Tubarão, amanhã na Arena Condá, em partida atrasada que vale pela 5rodada do Catarinão. O jogo contra a equipe do Sul acontece à partir das 20h30.