Por: Juliana | 10/04/2018

As atividades do Dia da Família na Escola em Chapecó levaram pais e estudantes para o SENAI, onde ocorreram oficinas de realidade virtual, inspeção veicular gratuita, jogos modernos e antigos, inclusão digital, sabão sustentável, maquiagem, cuidados com a pele e apresentações culturais. Os alunos e familiares da Educação de Jovens e Adultos (EJA) do SESI se reuniram na Sala SESI Matemática, onde participaram de jogos matemáticos. O IEL também esteve presente, com divulgação de vagas de estágio e emprego para estudantes e egressos.

            Os estudantes da EJA confeccionaram, durante as aulas, jogos educativos matemáticos. Durante o Dia da Família na Escola, foi realizada a oficina Pais e Filhos. “Na oficina, eles jogaram, fizeram lego e origamis. A atividade foi importante para a interação entre a família. Além disso, o jogo é dinâmico e uma maneira divertida de aprender a matemática”, frisou a supervisora pedagógica da EJA SESI, Aline Pereira.

            Tecnologias antigas, como o fliperama, óculos de realidade virtual, inclusão digital e jogo de realidade virtual controlado pelo corpo integraram as atividades da Sala de Tecnologia e Inclusão Digital. “A evolução tecnológica é grande em todas as áreas. Nossa intenção foi mostrar isso tanto para os jovens como para os adultos”, comentou o coordenador dos jogos e aluno do curso Técnico de Suporte e Manutenção em Informática do SENAI, Edenilson Gonçalves.

            Alunos do curso Técnico em Química desenvolveram um projeto de sabão sustentável. As estudantes Emely LimaClara Venancio e Ana Julia Miotto explicaram que, além de estudar o processo químico dos ingredientes utilizados, a intenção foi mostrar que a química está presente no dia a dia. Os visitantes puderam levar uma amostra do sabão e a receita.

            No Centro Automotivo, os estudantes do terceiro semestre do curso Técnico em Manutenção Automotiva fizeram inspeção veicular gratuita. O professor responsável pelo Centro Automotivo, Edson Gustavo da Silva, relatou que os alunos elaboraram um checklist, a partir do qual foram avaliados o sistema de sinalização e iluminação, sistema de carga e partida, fluidos e pneus. “Com a atividade, foi possível integrar a teoria com a prática”, assinalou o professor.

Atividades culturais também fizeram parte da programação, com apresentações dos estudantes do segundo ano do ensino médio de poemas, crônicas, contos, piadas, entre outros. A professora de Língua Portuguesa e Literatura, Aline Carla Dalmutt, realçou que as apresentações contribuem para os alunos desenvolverem habilidades socioemocionais. “Eles puderam fugir um pouco do conhecimento técnico para um olhar mais artístico, perdendo o medo que muitas vezes existe de falar em público”.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC) participou das ações na E.B.M André Marafon. Foram oferecidas oficinas de jardinagem, minifeira com alimentação saudável e recreação. Os pais auxiliaram na criação de um novo jardim para a escola e passaram um dia diferente na companhia dos filhos e professores.

REGIÃO

Em Xanxerê, o Dia da Família na Escola ofereceu café da manhã, palestra e oficinas sobre eletricidade, primeiros socorros, jogos e mecânica. Os alunos da EJA SESI participaram de oficinas com pais e filhos. Também foram exploradas as salas de Comunicação e Mídias, Matemática e Robótica. O Espaço Maker, no SESI de Pinhalzinho, envolveu as famílias em oficinas que contribuíram para integração e aprendizado.

Para o vice-presidente regional oeste da FIESC, Waldemar Schmitz, o apoio da família aproxima os pais aos alunos e professores. “A participação da família melhora a comunicação, a transparência, valoriza mais os alunos, integrando e incentivando toda a comunidade escolar. Isso reflete diretamente em melhorias nos índices dos alunos e na qualidade do ensino. Todos os envolvidos estão de parabéns pela dedicação a esse dia tão importante para a educação de Santa Catarina”.

O diretor regional Oeste do SENAI e interlocutor da Câmara Regional de Educação,Almeri Dedonatto, salientou que o Movimento Santa Catarina pela Educação promove o Dia da Família na Escola para reforçar o vínculo familiar e o acompanhamento dos pais na vida escolar de seus filhos. “Os especialistas garantem que a proximidade entre os pais ou responsáveis e a escola aumenta o desempenho e o rendimento do aluno”.

Todas as escolas municipais e estaduais, além da rede escolar da FIESC (SESI e SENAI), FECOMÉRCIO (SESC e SENAC), FAESC (SENAR) e FETRANCESC (SEST e SENAT), mobilizaram-se em todo o Estado para promover ações educativas e recreativas alusivas ao tema. Em Chapecó, as ações das redes municipal e estadual de educação ocorrerão no próximo sábado, dia 14.

DIA DA FAMÍLIA NA ESCOLA

A proposta da criação do Dia da Família na Escola, que chega ao seu terceiro ano, surgiu da Campanha Pais pela Educação, lançada pelo Movimento SC pela Educação em 2014. Um dos estímulos é uma pesquisa do Instituto Ayrton Senna, em parceria com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), segundo a qual os estudantes que recebem apoio e atenção dos pais na sua vida escolar estão, em média, quatro meses à frente no aprendizado em comparação com os que não recebem essa atenção. O objetivo da iniciativa é estimular a participação dos pais na vida escolar dos filhos.

MOVIMENTO SANTA CATARINA PELA EDUCAÇÃO

O Movimento Santa Catarina pela Educação é uma iniciativa desenvolvida pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC) desde 2012, com participação do SESI e do SENAI. Obteve a adesão das federações patronais e dos serviços de aprendizagem e social do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio, Senac e Sesc), Agricultura (Faesc e Senar) e Transportes (Fetrancesc, Sest e Senat), além das entidades representativas dos trabalhadores das indústrias e de instituições públicas, como a Secretaria de Estado da Educação e a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-SC). Seus principais desafios são de proporcionar a todos os trabalhadores catarinenses a escolaridade básica completa até 2024 e formação profissional e tecnológica compatível com a função, com foco na educação para o mundo do trabalho e na articulação e influência social na educação de Santa Catarina.