Por: Carlos Lazzari | 29/11/2017

Batalhões Especiais do 2º BPM antes de embarcar para o local da ação

Foto área do acampamento do MST na fazenda invadida

 

Integrantes do MST colocaram fogo em pneus na entrada da fazenda para atrapalhar a polícia, mostrando que nem todos estavam afim de sair na paz

Batalhão de Choque da Pm também participou da Reintegração de Posse

No início da manhã desta quarta-feira, 29, por volta das 6h, em área rural localizada na Linha Vargem Bonita, município de faxinal dos Guedes, na divisa com o município de Xanxerê, a Polícia Militar, acompanhada de outros órgãos de segurança estaduais e federais, órgãos sanitários, entidades municipais e outros, deu comprimento a um mandado de reintegração de posse da Justiça Federal, que foi conduzido e lido por oficial da referida justiça.

A ação iniciou bem antes, com deslocamentos de efetivos de Chapecó a Xanxerê, onde na sede da 4ª Companhia do 2º Batalhão de Polícia Militar/Fronteira foi realizada uma preleção e repassados os detalhes do cumprimento da missão, fato que ocorreu a partir das 4h da madrugada. Sem contar o deslocamento do reforço com policiamento do Choque, de Florianópolis, em dia anterior.

A ação iniciou com a leitura do mandado de reintegração de posse, que foi intermediada pela Polícia Militar e feita por um oficial de justiça da Justiça Federal, com a devida escolta e proteção, ação que foi desenvolvida na presença de representantes do movimento e de advogado deles, fato que, devido ao aparato policial, técnica e maneira de condução, ocorreu sem qualquer alteração.

Depois da leitura do mandado, as ações e orientações ficaram a cargo do comandante da operação, tenente-coronel PM Ricardo Alves da Silva, tendo a supervisão, em seu início, do subcomandante-geral da PMSC, coronel PM Araújo Gomes.

Os integrantes do movimento foram cientificados, perante testemunhas e advogado, de que não caberia, por parte da Polícia Militar, negociação ou discussão sobre o mérito da decisão judicial, restando apenas como opção o cumprimento da determinação.

Após alguns questionamentos e negociações das condições de carregamento dos pertences e desocupação, as ações iniciaram, sendo os veículos de transporte cedidos pela Prefeitura de Faxinal dos Guedes. Fiscais da Cidasc auxiliaram na catalogação e transporte dos animais presentes no acampamento.

Em dado momento da operação, foi informado ao comando, por mães acampadas que as crianças não haviam tomado café da manhã, e estavam com fome. Mesmo não sendo atribuição da Polícia Militar tal ação, foi intermediado o fornecimento de pães, frutas e acompanhamentos para a refeição dos pequenos.

Importante ressaltar que a Polícia Militar “apenas” cumpriu um Mandado de Reintegração de Posse que foi expedido pela Justiça federal, e tudo foi realizado de maneira técnica e pacífica. Ainda que, há dois dias do cumprimento do presente mandado, as famílias, através do representante do acampamento, foram informadas que, se não desocupassem a área haveria ação de reintegração com ação policial.

 

EFETIVO EMPREGADO

Polícia Militar (incluindo a Polícia Militar Ambiental) empregou os pelotões de Patrulhamento Tático de Chapecó e Xanxerê, os Canis de Chapecó, Concórdia e Xanxerê; Grupamento de Choque de Florianópolis; Cavalarias de Chapecó, Lages e São José; Guarnição de Operações Preventivas da 3ªCia; Guarnição Reforçada; Rocam entre outros efetivos operacionais e administrativos. Aproximadamente 130 policiais militares.
Justiça Federal (oficial de justiça)
Polícia Civil (com emprego de guarnições, delegacia móvel e SAER)
Polícia Federal
Bombeiros (ambulâncias e caminhão de combate a incêndio)
Samu
Cidasc
Conselho Tutelar
Prefeitura Municipal de Faxinal dos Guedes (caminhões, ônibus e ambulâncias)

 

CARACTERÍSTICAS DA OCUPAÇÃO

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), acampamento denominado “Marcelino Chiarello”, aproximadamente 200 famílias, num total aproximado de 500 pessoas. Algumas famílias foram para casa de parentes e amigos, já outras foram conduzidas ao ginásio municipal de Faxinal dos Guedes, onde receberão assistência do poder público municipal.