Por: Juliana | 23/11/2017

Conforme análise do Instituto Mapa, os nomes de Bauer e Amin estão “calçados em recall de eleições majoritárias anteriores”. Já Mariani, Lima e Merísio são pré-candidatos ainda não estadualizados, com “percentuais aproximados entre si, mas distantes dos líderes”.

 

Senado Federal

Para a corrida ao Senado, a pesquisa aponta a preferência para os nomes do atual governador Raimundo Colombo (PSD), seguido pelo deputado federal Esperidião Amin (PP), o já senador Paulo Bauer (PSDB) e o ex-deputado federal Paulinho Bornhausen (PSB). Os dois primeiros lideram empatados na margem de erro. Ainda aparecem na consulta, como possíveis candidatos o deputado federal Jorginho Melo (PR), o ex-deputado federal Claudio Vignatti (PT) e o empresário e dono da Havan, Luciano Hang (sem partido). Amin tem a maior rejeição entre os nomes consultados.

Bolsonaro lidera pesquisa estimulada em SC

Quando os eleitores pesquisados foram confrontados com os nomes dos pré-candidatos à presidência da República, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC/RJ) lidera nos dois cenários simulados em Santa Catarina. No primeiro deles, é seguido pelo ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), a ex-senadora Marina Silva (REDE) e o senador Álvaro Dias (Podemos). No outro, quando o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) substitui Lula, Marina assume a liderança e Ciro supera Alckmin. Lula tem a maior rejeição entre os presidenciáveis, embora seu nome surja em várias pesquisas entre o 1º e 2º lugar, o que indicaria um segundo turno entre ele e Bolsonaro.

Avaliação do governo

Uma avaliação da administração atual do Estado também foi proposta aos entrevistados. Quanto a satisfação geral com o governo Raimundo Colombo (PSD), a maioria considera “regular”. Os conceitos positivos, somando avaliações “ótimo” e “bom” são maiores que os negativos, que agregam “péssimo” e “ruim”. Quando a pergunta é sobre a aprovação, a maioria “aprova”. Já quando questionados sobre a confiança, a maioria dos entrevistados diz que “não confia”.